sexta-feira, 11 de agosto de 2017

O MOTIVO DA NOSSA ALEGRIA

Resultado de imagem para DEUS E O MOTIVO DA NOSSA ALEGRIA




Tu multiplicaste este povo e a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na ceifa e como exultam quando se repartem os despojos.Isaías 9.3
  

O amor de Deus por nós, povo escolhido para ser parte do Seu plano, é tão grande, que Ele deu o Seu único Filho para morrer em nosso lugar (Jo 3.16). Quem ouve a mensagem do Evangelho e a aceita é salvo, passando da morte para a vida. A cada dia no Brasil, milhares de pregadores falam do amor de Cristo e fazem a oração da fé. Assim, uma multidão conclui que o Senhor salva e cura os enfermos.

Olhando para o pequeno número que éramos há alguns anos e o que somos hoje, reconhecemos que o Senhor multiplicou o povo santo. Esse entendimento é o início do avivamento que sacudirá o mundo em breve. O diabo pode usar os seus agentes para combater a fé no Salvador, mas as operações do Alto provam que o Evangelho é tudo de que o povo precisa. Em muitas partes, esse mesmo fenômeno já começou a acontecer. Aleluia!

Nós temos um estoque de alegria que nem de longe utilizamos. É com ela que podemos realizar as mesmas obras que Jesus fazia, e até maiores (Jo 14.12). Infelizmente, temos dado atenção às concupiscências da carne e, por capricho ou maldade, cobiçamos o que é do próximo, e isso não está certo (Êx 20.17). Ora, quando somos vencidos por uma tentação, nós nos tornamos servos daquele espírito tentador (2 Pe 2.18,19).

A Palavra declara que todos se contentarão perante o Altíssimo (Dt 12.12). Portanto, deixe a carnalidade e assuma a alegria diante dEle. Se o inimigo investir contra a sua vida, o Senhor há de resolver qualquer situação e fará você se tornar a bênção que Ele planejou. Se você não tiver essa alegria, não tome decisões nem mesmo ore por circunstâncias que pareçam ser de Deus, mas, na verdade, têm a mão do maligno.

Nós podemos andar sempre vitoriosamente, conservando a satisfação de uma promessa revelada. Então, guardando essa sensação boa, seremos recompensados com mais dela e serviremos a Deus com cânticos, como é nosso dever (Sl 100.2). Certamente, por darmos atenção às artimanhas do diabo, temos nos sujeitado a uma subvida espiritual. Ora, o Senhor já afirmou que a nossa alegria tem de ser completa (Jo 15.11).

Como você se portaria se fosse um agricultor e, na colheita, sua terra produzisse muito? O seu coração se regozijaria, não é verdade? Pois bem, o Pai celeste quer que você viva desse modo, porque a sua Terra da Promessa, o seu entendimento no Evangelho, é grande e tem produzido em abundância. Todo filho de Deus deveria agir como Jabez, o qual pediu a ampliação dos seus termos (1 Cr 4.10).

Jesus veio e venceu o diabo por nós. Agora, tudo o que Satanás havia nos roubado foi resgatado. Então, como acontecia no passado, quando os soldados venciam uma guerra e, contentes, repartiam o despojo dos vencidos, temos de fazer com o que Cristo conquistou para nós. O nosso despojo é grande!

Em Cristo, com amor,




R. R. Soares